Associado ao que há de melhor, associado a você! -

Arquivos Mensais

5 artigos

Dia do Trabalhador: Sicoob Credija conta com colaboradores engajados em causas sociais

Cooperativismo no trabalho e no estilo de vida

Existe um ditado bastante popular que diz que o trabalho dignifica o homem, a expressão visa destacar a importância que uma ocupação exerce na vida de alguém. O trabalho, mais do que uma fonte de renda, é também uma oportunidade para evoluir como pessoa. Integrante do maior sistema de cooperativas do país, o Sicoob Credija conta com um grande número de trabalhadores, que dia após dia se dedicam e buscam sempre evoluir para oferecer o melhor em suas funções.

Nesse time de colaboradores formado por mulheres e homens, a diversidade torna o ambiente ainda mais dinâmico, construtivo e capaz de proporcionar experiências que ultrapassam o horário de trabalho. A colaboradora Natália Reco de Nês, mais do que cooperar para a construção de um mundo cada vez mais justo e solidário trabalhando na Credija, também adotou a cooperação como estilo de vida.

Desde pequena, a moradora da comunidade de Linha São Pedro, em Jacinto Machado, cresceu rodeada de animais. Seja pelo gosto familiar ou o sentimento de carinho e respeito com os bichinhos, Natália é enfática ao dizer que “é impossível explicar como esse amor começou”, para a jovem, “nunca me faltou exemplos para tratar os animais com carinho e respeito”. A iniciativa está se tornando tão séria que até uma associação de proteção aos animais está sendo organizada por ela e algumas amigas. “Ter a oportunidade de ser voluntária é um privilégio, uma chance de me sentir renovada, é a oportunidade de fazer a diferença, não apenas na vida desses animais, mais também para nossa sociedade”.

O trabalho voluntário é abraçado e praticado por quem compartilha de um sentimento de inquietude ou inconformismo com algum tipo de situação. Por vezes, a vontade de contribuir para uma transformação social é um desejo tão forte que acaba se transformando no estilo de vida. No cooperativismo as coisas fluem dessa forma. Ser cooperativista é estar sempre atento aos desafios do mundo, sempre contando com o próximo.

Outro colaborador que adota a cooperação como estilo de vida é Gabriel Nerci Borges, de Maracajá. Com uma personalidade alegre e de sorriso fácil, o jovem integra o grupo Infusores da Alegria, que surgiu em 2013 e que tem como objetivo alegrar ambientes hospitalares e asilos através da caracterização e dinâmica teatral. “A minha equipe atua quinzenalmente nas quintas-feiras. Vamos nos blocos da pediatria, maternidade, cirúrgico e internação”, resume Gabriel, que convidou mais três colegas de trabalho para se juntarem a causa social e que hoje integram o grupo.

Para o presidente da cooperativa, Wolni José Walter, é gratificante saber que a família de colaboradores do Sicoob Credija é composta por esses e tantos outros talentos. “Cada um de nós conta com uma personalidade, uma vivência familiar e um estilo próprio de ser, no entanto, estamos todos sintonizados através do estilo cooperativista, contribuindo com a vida das pessoas dentro e fora do trabalho, isso tudo certamente soma nos resultados positivos que viemos alcançando”, destaca Wolni que aproveitou para parabenizar a todos da equipe. “Desejo a todos os colaboradores do Sicoob Credija um futuro profissional cada vez mais engajado na cooperação”, finaliza.

Compartilhe:

Sipag: a máquina de cartão do cooperativismo


Menores custos do mercado e antecipação de recebíveis são vantagens

Vai pagar com cartão ou dinheiro? A pergunta é comum na hora de concluir uma compra ou contratação de serviço. Cada vez mais frequente, o uso do cartão nesse tipo de operação fez crescer a procura por máquinas e bandeiras credenciadas por parte dos empresários. Pesquisa divulgada no final de 2018 pelo Sebrae revelou que 46% dos pequenos negócios já utilizam máquina de cartão para receber pagamentos, um crescimento de 19% em relação ao ano de 2016. Se tratando do comércio a proporção de empresas com máquinas sobe para 62%.

O maior sistema cooperativo financeiro do Brasil, o Sicoob, oferece a máquina de cartões Sipag. Não ter que se preocupar com a inadimplência, ou até mesmo vender a prazo e poder receber o valor à vista são só algumas das vantagens da maquininha do cooperativismo. Com ela, é possível aceitar as bandeiras Cabal, Master, Visa, Elo, Hipercard, Ticket, Sorocred e American Express. Além disso, as taxas são bastante atraentes, principal característica do modelo cooperativista.

E para crescer todo empresário sabe, ter um controle financeiro e optar por formas mais acessíveis de negociação é fundamental para garantir mais lucro. “Além de todas as vantagens de redução de custo, o uso da Sipag retorna em resultado financeiro para o próprio associado, aumentando a participação na distribuição de sobras da cooperativa”, destaca Wolni José Walter, presidente da Credija. Por não visar ao lucro, as cooperativas devolvem aos associados as chamadas sobras, que nada mais é que o resultado obtido durante o ano.  Em 2019, quase R$9 milhões foram divididos em conta corrente conforme a movimentação financeira de cada cooperado.

A Sipag é só um dos vários exemplos de produtos e serviços que pode ser contratado em qualquer uma das agências da cooperativa, ou ainda solicitados pela internet.Ao ser associado do Sicooob Credija, o cooperado começa a se beneficiar com os produtos e serviços oferecidos através de um modelo de negócio mais justo e humano que incentiva o desenvolvimento das comunidades e dos negócios”, acrescenta Donato Semprebon, vice-presidente do Sicoob Credija.

Compartilhe:

A viabilidade da energia limpa

A geração de energia limpa, por meio de fontes renováveis, como o sol ou o vento, está se tornando uma alternativa cada vez mais presente na vida das pessoas. O Sicoob Credija já investe nesse tipo de tecnologia em suas edificações, o exemplo mais recente está na agência de Santa Rosa do Sul. Desde a sua inauguração, a edificação conta com um conjunto de painéis com células fotovoltaicas, responsáveis por converter a luz do sol em energia elétrica. Outro investimento sustentável é a coleta de água da chuva para uso interno.

Quem já conta com o sistema fotovoltaico sabe que a diminuição no valor da conta de energia é o grande responsável pelo retorno do investimento. Possuir o próprio gerador de energia elétrica diminui ainda a dependência da rede. O consumidor pode devolver ainda a energia excedente à concessionária e receber em forma de crédito um abatimento nos meses subsequentes.

Mas, engana-se quem pensa que essa tecnologia veio para auxiliar somente empresas e residências. O agronegócio também faz parte dessa importante revolução e conta com condições acessíveis por meio de programas como o Pronaf Eco. É através do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que o agricultor pode contratar um financiamento e investir na utilização de tecnologias de energia renovável, tecnologias ambientais, armazenamento hídrico, pequenos aproveitamentos hidro energéticos, silvicultura e adoção de práticas conservacionistas e de correção da acidez e fertilidade do solo, visando a sua recuperação e melhoramento da capacidade produtiva.

Com uma taxa de 2,5% ao ano e prazo de até 10 anos para pagamento, os produtores que desejam acessar o crédito do Pronaf devem ter em mãos a sua Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). É esse documento que identifica o agricultor familiar e que pode ser emitido pela Epagri, em Santa Catarina, ou pela Emater no Rio Grande do Sul. Em seguida, os interessados devem procurar uma agência do Sicoob Credija para apresentar sua intenção de obter o financiamento.

O agricultor também pode solicitar a visita de um agente para que o planejamento possa ser iniciado. Em termos de retorno, só para se ter uma ideia, em apenas um ano a agência da cooperativa em Santa Rosa do Sul já economizou cerca de R$28 mil reais que poderiam ter sido cobrados na conta de energia. O montante positivo também aparece no quesito sustentabilidade, já que a geração limpa permitiu que mais de 29 toneladas de gás carbônico deixassem de ser emitidos na atmosfera.

O associado Lidio Antonio Guetner, de Jacinto Machado, investiu em painéis solares em sua propriedade. ‘’A cooperativa é uma família, se não fosse ela eu não teria as coisas que conquistei, a Credija foi fundamental para que essa e outras parcerias dessem certo’’, resume.

Compartilhe:

Novos serviços digitais ampliam comodidade de associados

O Sicoob já possui mais da metade das suas transações realizadas pelo aplicativo mobile

A transformação digital acontece de maneira acelerada e no setor financeiro não é diferente, é cada vez mais comum que os usuários utilizem a internet para a realização de operações garantindo mais comodidade e agilidade. Atualmente, os serviços financeiros estão na palma da mão do usuário, que pode utilizar o celular para realizar diversas consultas.

No Sicoob, maior sistema financeiro cooperativo do país, o aplicativo oferecido aos cooperados disponibiliza mais de 100 tipos de transações, que vão desde encontrar pontos de atendimento, contratar empréstimos, realizar investimentos e até mesmo acompanhar o plano de previdência complementar. No Sicoob, 73% do total de operações acontece através dos canais digitais. “Estamos sempre atentos as transformações com o objetivo de contribuir com as pessoas e suas comunidades, oferecendo produtos e serviços mais justos e com toda a comodidade e segurança”, pontua o presidente do Sicoob Credija, Wolni José Walter, que destaca os meios digitais como uma grande ferramenta do Sicoob. “O sistema já recebeu diversas premiações, o que demonstra os resultados positivos da ferramenta na vida das pessoas”, destaca.

Além dos serviços digitais, o Sicoob Credija segue investindo também no atendimento humanizado e personalizado. Só para se ter uma ideia, três novas agências estão em fase de construção ou elaboração de projetos. A cidade de Sombrio será a próxima a contar com uma agência própria, serão mais de 1.600 metros quadrados de área construída. Há um ano, em Santa Rosa do Sul, a cooperativa inaugurou sua agência própria na cidade. “Investir nas pessoas é sempre importante, pois são elas que constituem a cooperativa, utilizam os produtos e serviços e se beneficiam com os resultados obtidos”, comenta Donato Semprebon, vice-presidente da cooperativa.

Compartilhe:

Seguro protege patrimônio e lavouras contra granizo e ventos fortes

Cooperativa apresenta boas opções de coberturas

Quem trabalha no agronegócio sabe bem os desafios que exige a profissão. Durante meses, todos os esforços se concentram na colheita. Mas e se o clima apresentar condições que coloquem todos os investimentos em risco? É justamente pensando nessas situações que o Sicoob Credija oferece seguros para proteger o patrimônio e a lavoura. O produto, como o próprio nome destaca, traz mais segurança e tranquilidade ao produtor rural, diante de um evento que pode comprometer parcialmente ou toda a produção.

As novas tecnologias relacionadas à meteorologia avançaram, mas ainda não é possível ter certeza sobre quando uma propriedade será afetada por ventos fortes ou granizo. “O seguro é um grande aliado, garantindo maior tranquilidade ao produtor e minimizando os prejuízos causados na propriedade ou plantação”, explica a agente de seguros do Sicoob Credija, Josiane Dal Pont.

Com aproximadamente 120 hectares dedicados para o cultivo do arroz, Adilton Trevisol viu parte da sua plantação ser prejudicada depois de um temporal e acionou o seguro. “É uma tranquilidade saber que você está protegido em uma situação de prejuízo”, destaca o rizicultor que considera o produto da cooperativa diferenciado. “Fui muito bem atendido e toda a avaliação dos danos foi realizada de forma justa, algo que me deixou muito satisfeito e já estou pensando em ampliar a cobertura para outras áreas”.


Quem também contou com a proteção do seguro oferecido pela cooperativa foi o associado Adilton da Rosa Benfatto, morador da cidade de Praia Grande. “A gente contrata para não usar, mas quando precisa é muito bom, quero continuar contratando porque com certeza garante mais segurança”, avalia. Para o agricultor, a cooperativa também é uma opção mais próxima e que entende melhor a realidade da região. “A gente acaba conhecendo as pessoas, elas sabem das nossas dificuldades e isso tudo ajuda muito”.

Compartilhe: