Associado ao que há de melhor, associado a você! -

Arquivos Mensais

6 artigos

Sicoob Credija anuncia ganhadores do Credcap

Valor total da premiação supera os R$300 mil

O Sicoob Credija anunciou nesta terça-feira, dia 26, os associados que foram sorteados em mais uma edição do Credcap. Ao todo, a cooperativa vai distribuir R$315 mil, sendo 45 contemplados com prêmios de R$5 mil e 3 sorteados que receberão R$30 mil cada. Desde a sua criação, a campanha já distribuiu mais de R$2 milhões em prêmios.

A cada produto ou serviço que o associado adquire na cooperativa, inclusive nas compras de cartão nas funções de crédito e débito, automaticamente é gerado um número da sorte, ou seja, quanto maior for a sua participação na cooperativa maior serão as suas chances de ganhar. “Valorizar as pessoas que fazem parte da cooperativa é essencial”, comenta Wolni José Walter, presidente do Sicoob Credija.

Com uma área de atuação que compreende municípios dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a cooperativa lança agora sua 14ª edição do Credcap, ação válida durante todo o ano e que vai sortear mais de R$300 mil em prêmios. “O Sicoob Credija sempre esteve ao lado das pessoas e de suas comunidades, temos certeza que incentivar a cooperação é o melhor caminho para todos”, destaca Donato Semprebon, vice-presidente da cooperativa.

Confira os ganhadores desta edição:

Compartilhe:

Doce Mudança

Na família Cardoso, a determinação do casal Aderval e Terezinha proporcionou uma nova realidade. “Passamos muito trabalho no começo, mas sempre tivemos muita determinação para conseguir nossos objetivos”, conta o produtor, que atualmente embala os produtos com marca própria e revende parte da produção, em 2019, foram 5 mil quilos e a meta para esse ano é superar o montante.

Aderval e Terezinha exibem seus produtos

No passado, a família enfrentava muitas dificuldades com a colheita do fumo e sofria com os trabalhos na lavoura. “Toda a colheita eu passava mal, são agrotóxicos, o calor dos fornos e o manuseio das folhas são atividades que exigem muito do organismo”, avalia Aderval. Hoje, o casal de agricultores é enfático ao dizer que “a gente é muito feliz, agora não sofremos mais”.

Batizado de “Engenho Caminho dos Canyons”, os produtos têm como matéria-prima a cana de açúcar, algo que os agricultores consideram positivo, já que a planta é resistente aos efeitos climáticos e não exige o manuseio de agrotóxicos.

Com um potencial turístico ainda em expansão, os agricultores também estão investindo no turismo de experiência, que consiste em reunir pequenos grupos e oportunizá-los a conhecerem a propriedade e todo o processo, desde o corte da cana até o empacotamento. “Temos uma área para almoço e café da manhã e, recentemente, finalizamos a construção de um espaço para acomodar os visitantes e explicar todo o preparo do alimento”, explica o produtor.

Aderval também destaca que a cooperativa tem na sua essência uma relação muito positiva com os agricultores. “Ter amigos e saúde é algo muito importante, a cooperativa sempre esteve ao lado do produtor rural, e essa relação é muito saudável para todos”, avalia. “Procuramos tratar a todos que nos visitam muito bem, porque essa é a melhor forma de divulgar o trabalho da gente, a cooperativa também faz a mesma coisa, por isso todos os anos contamos com o Sicoob”, finaliza.

Compartilhe:

Cooperja e Sicoob Credija doam respiradores e materiais para hospitais

Intercooperação beneficiará toda a região

Diante do cenário mundial provocado pelo coronavírus e alinhadas aos princípios cooperativistas, a Cooperja e o Sicoob Credija, realizaram a doação de respiradores para os hospitais São Roque, de Jacinto Machado e Nossa Senhora de Fátima, em Praia Grande. Além disso, a intercooperação proporcionou a doação de itens como máscaras, produtos de limpeza, álcool em gel e outros itens necessários para proteção individual dos profissionais da saúde.

Para o presidente da Cooperja, Vanir Zanatta, cooperação e solidariedade são alguns pilares do sistema e que diante das necessidades vividas atualmente pela sociedade se afloram ainda mais. “A Cooperja e a Credija sempre foram parceiras no trabalho. Agora são parceiras também na doação desses aparelhos, que salvarão vidas nesta pandemia ou no futuro, pois ficarão instalados para sempre em nossos hospitais de Jacinto Machado e Praia Grande. Parabéns as duas cooperativas, seus diretores, associados e colaboradores. Nós realizamos e colocamos em prática aquilo que levamos no coração”.

Equipamento já está no Hospital São Roque, em Jacinto Machado

O presidente do Sicoob Credija, Wolni José Walter, destaca que as cooperativas sempre trabalharam para o desenvolvimento sustentável de suas comunidades, gerando benefícios sociais e econômicos não apenas para seus associados, mas para toda a sociedade. “Contribuir com a vida das pessoas está na nossa essência e agora, mais uma vez, a cooperação será fundamental para superar esse desafio”. 

Donato Semprebon, presidente do Hospital São Roque, considera que apesar do distanciamento social as pessoas estão unidas na solidariedade. “Em momentos como esse é que percebemos o quanto temos pessoas solidárias, que se dedicam pelo bem comum e que valorizam o trabalho dos profissionais da saúde, em nome da diretoria a nossa gratidão as cooperativas e toda a comunidade”.

Respirador já está disponível em Praia Grande

Em Praia Grande, o Hospital Nossa Senhora de Fátima receberá também a doação de um respirador, além de materiais para higienização e proteção. “Esse é o momento que devemos nos unir para diminuir os problemas de saúde que possam ocorrer em nossa região. Sempre que solicitamos, as duas cooperativas estão de portas abertas para nos atender da melhor forma possível”, disse o presidente da instituição, Idalino Higino Bongiolo.

Compartilhe:

Determinação e cooperação

Idarlei e Ângelo encontraram na pitaya uma nova fonte de renda para a família

Moradora da comunidade de Sanga da Ripa, em Praia Grande, Idarlei Damiani e o esposo, Ângelo Paganini Damiani, enfrentaram muitas dificuldades no passado. Em 2010, a família chegou a planejar a venda do carro para auxiliar nas despesas com as lavouras de milho e arroz. Para complementar a renda familiar, Idarlei começou a fazer salgados para vender e alguns reparos como costureira, tudo com o objetivo de garantir uma renda extra.

Casal celebra qualidade dos frutos

A esperança de uma melhor qualidade de vida acompanhou a agricultora, que seguiu suas tarefas, sem deixar de lado o desejo de trabalhar com alguma cultura mais rentável. “Eu queria continuar na roça, trabalhando com a agricultura e gerando renda para a nossa família”, relembra. A grande mudança veio através de uma reportagem exibida na televisão e que se mostrou uma grande oportunidade de negócio. “Eu vi uma matéria sobre a pitaya e achei linda, me deu vontade de comer. Então eu comprei uma muda e plantei no quintal, mas não sabia a variedade ou como cuidar, mesmo assim nasceram três frutos”, conta. Com a degustação do fruto, o interesse em conhecer o cultivo da pitaya aumentou, e o empreendedorismo falou mais alto. “Minha irmã ficou sabendo que havia uma plantação na cidade vizinha, então fomos lá conhecer e com o dinheiro que ganhei com os salgados, comprei as primeiras 125 mudas”.

Plantação iniciou com 125 mudas

Com as plantas para serem germinadas, o casal iniciou a construção de palanques e, com muita força de vontade, realizou o primeiro cultivo. “Com o tempo, fomos aprendendo que são necessários palanques para a planta se desenvolver melhor e que existem diversas variedades, foi uma época de muita luta para tudo dar certo”. O casal também destaca o trabalho do grupo de Pitaya Sul, que reúne diversos produtores e oferece apoio técnico de entidades como a Epagri e o IFC, campus Santa Rosa do Sul.

Desde então, a agricultora cultiva mais de mil pés, com cerca de 50 variedades diferentes do fruto, somente no ano passado, foram comercializadas 14 toneladas. Questionada sobre o sucesso da plantação e os investimentos já realizados, Idarlei destaca que “o Sicoob foi um dos primeiros a apostar na ideia”. Atualmente, além da fruta in natura, são feitas geleias, sorvete, polpa e vinagre. “É importante sair na frente, estar atenta ao mercado e eu estou sempre inventando algo para agregar ainda mais na comercialização”, explica a produtora que chegou até a produzir vinho com a fruta. “Estou focada agora na produção de um creme de pitaya, assim como o açaí”, revela.

Com o plantio crescendo, a família também investiu na compra de itens para melhorar o processo de fabricação de produtos derivados da pitaya. “Com o apoio da cooperativa, nós compramos freezer, uma sorveteira compacta, liquidificador industrial e muitas outras coisas, sonhando em ampliar a produção”, conta Idarlei, que também está associada a outra cooperativa de produtores de pitaya, para quem repassa sua produção. “Nossa evolução está muito ligada à cooperativa, que reúne esforços para que todos cresçam juntos”, finaliza.

Compartilhe:

Cooperativas para a Ação Climática – este é o tema do Coops Day

Dia Internacional das Cooperativas 2020

O tema do Dia Internacional das Cooperativas 2020 é “Cooperativas para a Ação Climática”. O objetivo é propor à comunidade cooperativa global que faça pressão por ações que busquem soluções para as mudanças climáticas. Essa situação crítica está colocando em risco vidas e meios de subsistência, interrompendo ecossistemas vitais para as pessoas e o planeta. Desde o ano de 2016, os temas escolhidos fazem referência aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Este ano foi selecionado o objetivo 13: Ação Contra a Mudança Global do Clima.

O Dia Internacional das Cooperativas é comemorado anualmente no primeiro sábado de julho. O objetivo desta celebração é aumentar a conscientização sobre as cooperativas, destacar as metas e objetivos complementares das Nações Unidas e do movimento internacional de cooperativas, destacar as contribuições do movimento para a resolução dos principais problemas abordados pelas Nações Unidas e fortalecer e estender parcerias entre o movimento cooperativo internacional e outros atores.

Compartilhe: