Parte do núcleo de educadores e alunos no pátio do Catulo

Princípios norteiam o segmento cooperativista desde o seu surgimento

As cooperativas têm na comunidade a sua essência de formação, tanto na constituição de suas estruturas como na história do segmento, e trabalham para o desenvolvimento sustentável de suas comunidades. Na prática, elas buscam gerar benefícios sociais e econômicos não apenas para seus associados, mas para toda a comunidade. É exatamente nesse contexto que está ligado o sétimo princípio cooperativista, o interesse pela comunidade.

De valor significativo, a educação escolar é extremamente importante para a educação, formação e informação de crianças, jovens e adultos. Nesse sentido, o quinto princípio cooperativista contempla essa questão destacando que promover a educação e a formação de seus trabalhadores e associados, informando-os e capacitando-os transforma a realidade não somente da instituição em si, mas de toda a comunidade.

Mas como executar na prática princípios que foram observados desde o surgimento do movimento, em 1844? Um exemplo claro dessa prática cooperativista está na ação social realizada pelo Sicoob Credija nesta semana, que doou computadores para duas escolas da cidade de Sombrio, são elas: Escola de Educação Básica Catulo de Paixão Cearense e Centro de Educação Infantil Espaço Criança. Com a iniciativa, as duas unidades passaram a contar com laboratório de informática.

“Além de oferecermos produtos e serviços mais justos aos associados também estamos apoiando o desenvolvimento da região em que atuamos, ou seja, é um ciclo que gera benefícios para todos”, avalia o presidente do Sicoob Credija, Wolni José Walter. Outro grande projeto realizado pela cooperativa, em parceria com o Instituto Federal Catarinense (IFC) campus de Santa Rosa do Sul, trata da recuperação e doação de mudas de árvores, parceria que já distribuiu mais de 16 mil pés de árvores nativas.

Cooperativa recebeu presente de agradecimento
Alguns computadores doados pela cooperativa
Compartilhe: