Acesse sua conta:

COOPERATIVISMO

É Cooperar que nos faz crescer
COOPERATIVISMO

É uma organização de pessoas que se baseia em valores de ajuda mútua e responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade. Seus objetivos econômicos e sociais são comuns a todos. Os aspectos legais e doutrinários são distintivos de outras sociedades. Seus associados acreditam nos valores éticos da honestidade, transparência, responsabilidade social e preocupação pelo seu semelhante.

COOPERATIVA

É uma organização de pessoas que se baseia em valores de ajuda mútua e responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade. Seus objetivos econômicos e sociais são comuns a todos. Os aspectos legais e doutrinários são distintivos de outras sociedades. Seus associados acreditam nos valores éticos da honestidade, transparência, responsabilidade social e preocupação pelo seu semelhante.

Os conceitos que dão identidade ao cooperativismo são:

Cooperar – unir-se a outras pessoas para conjuntamente enfrentar situações adversas, no sentido de transformá-las em oportunidade e bem-estar econômico e social.

Cooperação – método de ação pelo qual indivíduos ou familiares com interesses comuns constituem um empreendimento. Os direitos são todos iguais e o resultado alcançado é repartido somente entre os integrantes, na proporção da participação de cada um.

Sócios – indivíduo, profissional, produtor de qualquer categoria ou atividade econômica que se associa a uma cooperativa para exercer atividade econômica ou adquirir bens de consumo e/ou duráveis.

Histórico do Cooperativismo

O movimento cooperativista surgiu na Inglaterra com a Revolução Industrial, no inicio do século XIX, quando a subjugação do trabalho ao capital deflagrou grandes movimentos sociais. Em 1843 os operários tecelões se organizaram em uma sociedade civil e no dia 24 de outubro de 1844 fundaram a Sociedade dos Probos Pioneiros de Rochdale Ltda, primeira cooperativa da história. O cooperativismo de crédito rural nasceu na Alemanha em 1848 pelas idéias de Frederich Wilhelm Raiffeisen com o objetivo de fomentar o crédito aos agricultores. O cooperativismo de crédito urbano surgiu em 1867, também na Alemanha, na pequena cidade de Delitzchzch, idealizado pelo magistrado Hermann Schulze. O cooperativismo de crédito no Brasil surgiu do trabalho do Padre jesuíta suíço Theodor Amstad que em 1902 liderou a formação da cooperativa de Nova Petrópolis-RS, a primeira cooperativa de crédito do país. Em 1932, uma pequena colônia do extremo-oeste de Santa Catarina, à época chamada Porto Novo (atual município de Itapiranga), foi o primeiro lugar do estado a receber uma cooperativa de crédito.

Direitos

Votar e ser votado;

Participar das operações da Cooperativa;

Receber retorno proporcional às suas operações no final do exercício;

Convocar Assembleia caso seja necessário (conforme legislação);

Solicitar esclarecimentos ao Conselho de Administração;

Opinar e defender as suas ideias;

Propor medidas de interesse da Cooperativa;

Demitir-se da Cooperativa e receber o seu capital, de acordo com o Estatuto.

Deveres

Participar das Assembleias;

Operar com a Cooperativa;

Aumentar seu capital na Cooperativa;

Aceitar a decisão da maioria;

Votar nas eleições da Cooperativa;

Cumprir seus compromissos com a Cooperativa;

Denunciar falhas;

Não comentar falhas da Cooperativa fora dela;

Manter-se informado a respeito da Cooperativa;

Acompanhar os eventos de educação cooperativista.

Princípios

Adesão voluntária e livre;

Gestão democrática pelos membros;

Participação econômica dos membros;

Autonomia e independência;

Educação, formação e informação;

Intercooperação;

Interesse pela comunidade.

Valores

Ajuda Mútua e Responsabilidade;

Democracia;

Igualdade;

Equidade;

Solidariedade;

Honestidade;

Transparência;

Responsabilidade Social;


Fonte: OCB